SINTRAS - TO

Em Esperantina, prefeitura aguarda repasse da União para fazer complementação salarial da enfermagem

18/07/2023 18/07/2023 15:14 110 visualizações

O Sintras acompanha o andamento das negociações nacionais sobre o pagamento do piso nacional da enfermagem, mas já iniciou as ações com as prefeituras e com o Estado para garantir o direito aos Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de enfermagem logo que a União realizar o repasse ao Estado e municípios. Desta vez, reuniu com prefeito de Esperantina, Armando Alencar da Silva, para discutir o assunto.

Durante as discussões, o gestor do município garantiu que tão logo chegar o repasse da União, fará uma complementação salarial para a enfermagem. E ainda promete que vai colocar em discussões a reformulação do Plano de carreira com os novos valores do piso salarial da categoria.

Conforme o presidente do Sintras, Manoel Pereira de Miranda, os contatos é para antecipar junto com as gestões municipais e estaduais a execução do direito aos profissionais. “Estamos antecipando nossa conversa com os prefeitos e governo estadual para assim que o recurso da união for repassado aos municípios, o próprio gestor agilizar o pagamento do piso no contracheque dos profissionais da enfermagem. A categoria não aguenta mais esperar”, destacou Miranda.

Participaram da reunião os Diretores da regional de Augustinópolis Dalmo José Santos Carvalho, Gilcleide Alves Pinheiro e Antônio José Oliveira Rodrigues e membros da comissão responsável pela elaboração do plano de carreira.

Governo Federal

Na semana passada, o governo federal divulgou nota com orientações da Advocacia Geral da União (AGU), esclarecendo sobre o cálculo do piso que será aplicado considerando o vencimento básico e as gratificações de caráter geral fixas, não incluídas as de cunho pessoal. A metodologia de repasse aos entes e o monitoramento da implementação do piso em nível nacional tomará como base um grupo de trabalho com a participação de diferentes pastas (Ministério da Saúde, Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, Ministério do Planejamento e Orçamento, Advocacia-Geral da União e Controladoria-Geral da União), sob supervisão dos ministérios que integram a estrutura da Presidência da República e coordenados pela Casa Civil.